EFPH Versão 9.49 Revisão 21115 | Notícias PH | PH Softwares - sistemas para contabilidade, e mais

Nossas notícias, tudo sobre PH softwares

Tweetar
EFPH Versão 9.49 Revisão 21115
01 de Outubro de 2021

1 CADASTROS

1.1 Contabilistas

1.1.1 Incluído no cadastro de contabilistas os ‘Tipos’ Contadora e Técnica em Contabilidade, quando

selecionados esses tipos, o mesmo sairá nos relatórios. (CA 18040 - SUG 3643)

1.2 Produtos/Serviços/Itens

1.2.1 Ajustar Movimento

1.2.1.1 Ajustes para empresas do Lucro Real, Ajuste de Movimento de PIS/COFINS para a exclusão de ICMS

da Base de cálculo de PIS/COFINS para modelos de documento modelo ‘CTRC Eletrônico-57’. 

1.2.1.2 Para documentos modelo ‘Nota Fiscal Eletrônica-55’ quando no lançamento tiver valor informado

no campo ‘Outras Despesas’ e no detalhamento de itens produtos com alíquota zero e produtos 

com tributação normal ajuste realizado para retificações do ano de 2017. (CA 18145)

1.3 Ajustes no sistema para empresas do Lucro Presumido que possuir devoluções de produtos ‘(Art.1 Lei 10485)

Venda Red. 48,1% com tributação de PIS alíquota de 2% e COFINS 9,60%’, para a exclusão de ICMS da Base 

de Cálculo para PIS/COFINS no ano de 2017. (CA 18144)

2 LANÇAMENTOS

2.1 EFD Reinf

2.1.1 Comercialização por Produtor Rural PJ

2.1.1.1 Incluídos os campos Débito e Crédito na tela de lançamento da Comercialização da produção por 

Produtor Rural PJ/Agroindústria para interligar para o SCPH a soma dos valores de Contribuição

Previdenciária, Contribuição Previdenciária GILRAT e Contribuição Previdenciária SENAR em um 

único lançamento. (CA 18142 - SUG 3669)

2.2 Outros

2.2.1 Outras Bases

2.2.1.1 Simples Nacional

2.2.1.1.1 Criado em ‘Lançamentos/Outras Bases/Simples Nacional’ novo grid no campo ‘Tipo’ ‘ST-ICMS e MON PIS/COFINS’.

2.2.1.1.2 Este campo foi criado para quando o usuário desejar informar o valor das Receitas sujeitas ao ICMS Substituição

Tributária e produtos monofásicos de PIS/COFINS com o ‘Tipo de Ajuste: Devedor Exclusivo’ para que o mesmo seja

deduzido da apuração do Simples Nacional. 

2.2.1.1.3 Este campo poderá ser utilizado quando no documento fiscal escriturado

não tiver informado na aba ‘Aj. Simples Nacional’ os valores correspondentes ao ICMS ST e aos produtos monofásicos

de PIS/COFINS. (CA 18141)

2.3 ENTRADAS

2.3.1 CIAP - Crédito Ativo Permanente

2.3.1.1 Criado no ‘Créd. Ativo Perm.’ na aba ‘Informações da Venda/Baixa’/’(%) Estorno Parcelas Vincendas’, neste campo 

quando informado a venda do bem e o mesmo ainda possuir créditos a apropriar basta clicar na calculadora que o sistema 

calculará o percentual do crédito a ser estornado e o ‘Valor  Estorno Parcelas Vincendas’. Este campo poderá ser utilizado

pelo usuário que reconhece o total do crédito de ICMS destacado no documento fiscal na aquisição do bem do Ativo Imobilizado

em contas específicas no SCPH, para que os valores sejam interligados deverá ser informada as contas de débito e crédito na aba

‘Informações da aquisição’. (CA 17942 - SUG 3625)

3 RELATÓRIOS

3.1 Informações

3.1.1 Estaduais/DESTDA-SN

3.1.1.1 Criada opção em Outras Opções/Informações/Estaduais/ DESTDA-SN

3.1.1.1.1 Nesta opção serão geradas informações de entradas e saídas para empresas do Simples Nacional 

para o estado da empresa e também para o estado em que a empresa possui inscrição de substituto tributário no arquivo da DESTDA.

3.1.1.1.2 Lançamentos das entradas que serão gerados para o arquivo: 

3.1.1.1.2.1 Diferencial de alíquotas referente Ativo Imobilizado e Material de uso e consumo desde que seja com recolhimento extra conta gráfica;

3.1.1.1.2.2 Diferencial de alíquotas com o tipo = demais entradas, cuja Apuração é ‘Documento-Vcto.Último Dia Mês;

3.1.1.1.2.3 Lançamento de ICMS ST como substituto solidário: com o tipo ‘Substituto Solidário - Remetente não reteve’ com ‘apuração = Mensal - Vcto ICMS substituto’.

3.1.1.2 Saídas

3.1.1.2.1 As saídas que possuírem débito de ICMS ST em ‘ICMS Subst.Tributária’;

3.1.1.2.2 As saídas que possuírem débito de ICMS ST em ‘ICMS Subst.Tributária’ e os CFOP’s de venda de combustíveis;

3.1.1.2.3 E o lançamento em lançamentos/Outros/Outros ICMS/Outros com a “definição = ICMS Substituto”

IMPORTANTE: Os valores gerados no arquivo podem ser consultados no relatório da DESTDA em relatórios/Informações/Estaduais/DESTDA-SN (CA 17998 - PRJ 466)

3.2 Relações

3.2.1 Lançamentos

3.2.1.1 Entradas/Saídas

3.2.1.1.1 Ajustes para gerar Relatório de Retenções de Saídas, apresentando valores das mesmas conforme retenção na nota fiscal,

sendo aceitável informar a ‘Data’ ao lado do campo valor das retenções diferente da data de emissão da NFSe. (CA 18149)

4 INTERLIGAÇÕES

4.1 Importação

4.1.1 Cadastro de Vínculos

4.1.1.1 Criado campo ‘Inscrição Fornecedor’ no esquema de Vínculos (CFOP x Histórico).

4.1.1.2 Quando inserida a inscrição do fornecedor no esquema de vínculos para IMPORTAÇÃO XML permite que seja utilizado

CFOP de entrada/histórico específico para este fornecedor, mesmo possuindo CFOP de documento igual as demais 

notas de entradas.

4.1.1.3 Pode ser vinculado todos os fornecedores ou pode-se vincular a inscrição apenas dos fornecedores em que a 

operação de entrada seja minoritária, como por exemplo, há várias entradas com CFOP de documento 5102 a 

grande maioria será dado entrada com CFOP 1102 e a minoria 1556, neste caso, vincula-se a inscrição de 

fornecedor das entradas com CFOP 1556.

4.1.1.4 Caso seja realizada conversão de CST em um vínculo que possua inscrição de fornecedor, deve-se criar um 

novo vínculo (outra linha no mesmo esquema de vínculos) com mesmo CFOP de documento e CFOP de entrada 

genérico apresentando mesma CST de documento, para que as demais importações com mesma CST sejam destinadas

para o cadastro de vínculos genérico (CFOP de entrada para a maioria das entradas).

4.1.1.5 Para IMPORTAÇÃO SPED pode ser utilizado quando deseja-se importar com históricos diferentes mesmo havendo 

mesmo CFOP de entrada.

4.1.1.6 Para IMPORTAÇÃO CT-e, o campo não é considerado, não devendo ser informado ‘Inscrição Fornecedor’.

IMPORTANTE: Para utilizar o campo ‘Inscrição Fornecedor’ cada empresa deverá ter o seu próprio esquema

de importação para que a importação realizada seja correta de acordo com o configurado no esquema de vínculos.

OBS.: Para facilitar na primeira configuração, é importante ter um controle contendo CFOP do documento, 

CFOP de entrada, Histórico, Inscrição do Fornecedor e CST de documento/CST entrada.

4.1.1.7 Nas importações seguintes o usuário deverá continuar alimentando o esquema de importação com as novas inscrições.

(CA 17626 - SUG 3539)

4.2 Importação

4.2.1 Importar NFSe

4.2.1.1 Ajustes para ignorar as TAG’s ‘Telefone e Email’ do grupo ‘Contato’ quando importado NFSe formato Abrasf. (CA 18161)

5 OUTRAS OPÇÕES

5.1 SPED Fiscal

5.1.1 EFD Contribuições

5.1.1.1 Passa a constar relação de NFC-e que estão sem detalhamento de itens nas saídas. (CA 18154)

5.2 Outras Opções

5.2.1 ECF (SCPH)

5.2.1.1 Ajustes no processamento do evento P400 da ECF, quando há registros de ‘Dedução Receita 32%’ 

lançado em Outras Bases. (CA 18158)

5.3 Informações/Estaduais

5.3.1 SC/ICMS-DARE

5.3.1.1 Ajustes para gerar somente DARE do recolhimento DIFAL e sistema carregar apenas dados do período

informado na guia. (CA 18159)

voltar