5 dicas para redigir um bom relatório de auditoria interna

5 dicas para redigir um bom relatório de auditoria interna

Gerenciar colaboradores, controlar histórico de funcionários e até administrar questões financeiras são tarefas que profissionais de Recursos Humanos e Departamento Pessoal dominam bem. O problema maior surge quando é preciso redigir relatórios de auditorias internas.

A grande maioria teme a atividade porque não sabe ao certo como desempenhá-la. A situação costuma ser encarada como um problema e não como uma solução capaz de ajudar a empresa.

As empresas possuem diferentes critérios e formatações de relatórios de autoria. Mas, duas coisas devem ser consideradas: a clareza e a objetividade, já que o documento retrata o que foi vivenciado em autoria e, nesse caso, um erro interpretação pode comprometer todo o trabalho.

Para você fugir de problemas como esses e aprender, de vez, a redigir um bom relatório de autoria interna, confira as dicas que selecionamos!

1. Evite termos como “a gerência deve considerar…”

Lembre-se de que relatórios de auditoria interna tem como objetivo principal fornecer recomendações consistentes para ações específicas.

Portanto, ao utilizar termos como esses, o entendimento e, principalmente, a resposta podem não ser os esperados, ou você gostaria de ouvir apenas um “vamos considerar” de seu supervisor?

2. Não utilize palavras evasivas

Fuja de frases com palavras evasivas como: “parece que”, “nossa impressão é” ou “parece haver”. Tais expressões demonstram, muitas vezes, uma falta de embasamento no assunto abordado.

Quem solicitou o relatório precisa ter a certeza de que pode confiar em você e nas informações apresentadas, o que não fica claro com termos evasivos que mais parecem palpites.

3. Não use jargões técnicos desnecessários

Se o objetivo é simplificar dados e informações, descarte jargões técnicos desnecessários. Quanto mais eles forem evitados, maior será a certeza de que a mensagem está clara.

Caso contrário, muitos podem nem levar a leitura do seu relatório até o final.

4. Evite culpar

Novamente é preciso lembrar que a finalidade de um relatório de auditoria interna é provocar uma mudança positiva no ambiente de trabalho e nos processos, não atribuir culpa a alguém.

Você terá mais chances de obter sucesso se parecer neutro, em vez de confrontante. Entenda que não há problema em identificar o responsável pela execução de determinas ações – mas não é preciso dizer: “foi o fulano”.

5. Não diga que a gerência falhou

Afirmar que “a gerência falhou” ou “a gerência não obteve sucesso”, certamente causará certa incomodação em quem é fundamental para executar as ações corretivas.

Simplesmente apontar a condição, sem atribuir culpa através de palavras como “falha”, tem maior probabilidade de resultar nas práticas necessárias.

Gostou desse post? Então, confira também: 4 dicas para ser um bom profissional de RH.

5 dicas para redigir um bom relatório de auditoria interna
Tags:        

PH Softwares

A PH Softwares é uma empresa constituída pelas áreas de desenvolvimento, testes, suporte e administração e está permanentemente mudando e se modernizando para manter-se atualizada e conectada às expectativas e exigências do mercado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *