2 filmes (e 1 série) para profissionais de Recursos Humanos

2 filmes (e 1 série) para profissionais de Recursos Humanos

Assistir a filmes e séries já se tornou o programa preferido de muitas pessoas. Não é raro encontrar quem troca, facilmente, uma balada por uma maratona em frente à TV.

O entretenimento tem ultrapassado a barreira da diversão e se tornado uma fonte de inspiração e de aprendizado bastante valorizada pelas pessoas. Os filmes e séries, em especial, possuem uma legião de fãs das mais diversas áreas.

O ramo empresarial destaca-se, muitas vezes, por ser tema de programas e a arte imitar (e, ainda, trazer reflexões) à vida. Personagens retratam características de gestores, empreendedores e líderes em tramas envolventes.

No post de hoje, compartilhamos com você, 2 dicas de filmes – e mais 1 série – com lições para profissionais de Recursos Humanos.

O Diabo Veste Prada

A trajetória profissional da atriz Anne Hathaway na badalada revista Runway, sob a severa Miranda – interpretada pela brilhante Meryl Streep – é de muitas pedras e percalços. O longa-metragem apresenta de maneira divertida a saga de Andy em se destacar pelo brilhantismo e pela competência em um contexto, no qual a aparência dita as regras.

Apesar do excesso de antipatia de Miranda, ela desmistifica – com excelência – a história de que um líder “faz o que quer”. Assim como a cobrança que ela tem com seus subordinados, ela também encara essa realidade – novamente com destaque – para manter-se no nível gerencial ao qual chegou.

Por outro lado, é preciso destacar que a equipe trabalha “para ela” e não “com ela”. Isso significa que Miranda possui problemas sérios de liderança, provavelmente gerados por sua crueldade e grosseria com a equipe.

o-diabo-veste-prada

Happy feet

Mano – o pinguim “diferentão” dessa animação – é a representação de situações que muitos colaboradores (na rádio corredor) compartilham de seus dias. Enquanto toda sua “tribo” possui o dom do canto, Mano é desafinado; no entanto, com um talento invejável para o sapateado.

As empresas têm a mesma dificuldade de abraçar seus colaboradores como a tribo fez com Mano. Aqueles que, inicialmente, não se encaixam no perfil “padrão” da instituição são rapidamente excluídos do ambiente. Por outro lado, se forem incluídos, destacando suas habilidades com as necessidades, são perfis que agregam e inovam.

Colaboradores com esse perfil podem, até mesmo, ser considerados uma ameaça para uma equipe inserida em uma zona de conforto, que não visualiza a necessidade de inovar.

happy-feet-

BÔNUS: Dr. House

A exemplo de Miranda, em O Diabo Veste Prada, Gregory House é um renomado e rabugento médico de um hospital-referência. Usando, muitas vezes, de métodos não ortodoxos, House soluciona casos considerados “perdidos” por outros profissionais.

O perfil de liderança (ou da falta dela) de Dr. House é a chave para a rotatividade da sua equipe, que não aceita por muito tempo suas extravagâncias, seus jogos de interesse e, principalmente seu excesso de ego.

Promover a competição saudável entre os membros de uma equipe é uma medida positiva. A equipe ganha porque consegue melhorar seus processos; a empresa, porque alcança melhores resultados; e o líder, por sua vez, porque ganha o respeito e a admiração de todos.

dr.house

E aí, gostou das dicas? Já assistiu a todos? Compartilhe com seus amigos!

2 filmes (e 1 série) para profissionais de Recursos Humanos

PH Softwares

A PH Softwares é uma empresa constituída pelas áreas de desenvolvimento, testes, suporte e administração e está permanentemente mudando e se modernizando para manter-se atualizada e conectada às expectativas e exigências do mercado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *